(92) 3233-3449   (92) 99267-1890

Artigos

PERFIL DE UM AGENTE DE SEGURANÇA

Ousamos um pouco falar da função, e porque não, do servidor especializado na atividade de segurança dos nossos tribunais em artigo anterior. Consideramos essencial esgotar o tema (se for possível), por isso, traçamos alguns debates a mais para o aguçamento da curiosidade ou críticas dos agentes. Afinal, o importante é a valorização com qualificação.

 
Para que um agente de segurança realize seu trabalho com efetividade, eficácia e eficiência,  é fundamental que o mesmo detenha:
 
a)      Conhecimento = saber: por conhecimento não se entende apenas a quantidade de informação que a pessoa detém (know-how), mas também a disposição para aprender, para ampliar seus conhecimentos, transmitir e compartilhar esses conhecimentos quando necessário.
 
b) Habilidade = saber fazer: não basta ter conhecimento, é preciso saber como colocá-lo em prática, saber trabalhar em equipe, liderar, motivar e promover a comunicação.
 
c) Julgamento = saber analisar: é preciso saber avaliar uma situação, saber obter dados e informações precisas, e ter discernimento para a tomada de decisão adequada, no momento certo, ponderar com equilíbrio e definir prioridades.
 
d) Atitude = saber fazer acontecer: é preciso que o agente de segurança tenha atitude empreendedora, saiba tomar decisões acertadas, saiba gerenciar os riscos, tendo em vista os resultados esperados.
 
e) Elegância = O agente de segurança deve dedicar especial atenção á sua apresentação individual, como uniforme, corte de cabelo e barba.
 
f) Vivacidade = que é o estado de espírito de estar sempre alerta;
 
g) Tato = que é a capacidade de agir com cuidado e discrição, visando a evitar ferir a suscetibilidade das pessoas;
 
h) Autocontrole = que é a capacidade de controlar sentimentos, emoções e reações, demonstrando serenidade diante de situações anormais;
 
i) Coragem = que é a capacidade de enfrentar, com energia e destemor, situações difíceis;
 
j) Lealdade= que é a capacidade de ser fiel, sincero, franco e honesto com as instituições e seus integrantes;
 
k) Compreensão = e expressão verbal, que é a capacidade de entender e transmitir com clareza, precisão e correção os fatos apresentados;
 
l) Espírito de cooperação = que é a capacidade de colaborar, participando ativa e harmoniosamente de um trabalho ou situação, contribuindo
 
AS PRINCIPAIS VULNERABILIDADES NO CASO DOS AGENTES DE SEGURANÇA
 
a) Rotina de trabalho;
 
b) Trabalho de improviso;
 
c) Falta de motivação na realização do trabalho de segurança;
d) Despreparo do agente de segurança;
 
e) Falta de informações para a realização do trabalho;
 
f) Falta de interação da chefia do órgão com o sistema de segurança.
 
A SEGURANÇA IMPLICA NOS SEGUINTES PRINCÍPIOS:
 
a) Princípio da preservação;
 
b) Princípio da iniciativa;
 
c) Princípio da surpresa;
 
d) Princípio da simplicidade;
 
e) Princípio da coordenação;
 
f) Princípio do comportamento de massa;
 
g) Princípio do emprego da força; e,
 
h) Princípio da maneabilidade.
 
 
AS PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DO SERVIÇO DE SEGURANÇA SÃO:
 
‘Coordenar, planejar e executar a Segurança Institucional do Órgão, que compreende:
 
a) A segurança pessoal dos Magistrados e autoridades em qualquer parte do território nacional e dos servidores, usuários e visitantes no âmbito das unidades judiciárias;
 
b) A segurança pessoal dos Oficiais de Justiça, quando em cumprimento de mandados judiciais;
 
c) A segurança patrimonial dos bens do Poder Judiciário, das áreas internas e externas das unidades judiciárias e das informações e processos que tramitam no órgão;
 
d) Os serviços de inteligência, comunicação, informação, policiamento e controle de acessos, bem como o acompanhamento e controle dos serviços prestados por terceiros e o serviço de achados e perdidos, interagindo com outros órgãos da segurança pública;
 
e) Os serviços de escolta de presos, acautelamento de armas de fogo e busca preventiva pessoal e veicular;
 
f) As ações de treinamento e qualificação do quadro da Segurança Institucional, bem como as ações de promoção da cultura da segurança preventiva e pacífica, em colaboração com as unidades de capacitação e comunicação do órgão;
 
g) Os serviços de Brigada de Incêndio e de Primeiros Socorros, em colaboração com as unidades de Bombeiros e do Serviço Médico;
 
h) Os serviços administrativos, tais como controle de materiais e equipamentos de uso da Segurança Institucional e gerenciamento de contratos afeitos à área de segurança;
 
i) O planejamento e a coordenação do Plano de Segurança da unidade, do Plano de Abandono Emergencial dos prédios, do Plano de Contingência de Risco, do Plano de Contingência de Crise e dos Plantões Ininterruptos de Segurança;
 
j) Execução do monitoramento dos sistemas de comunicação, circuito fechado de televisão, botões de pânico, detectores de metais, controle de acesso e demais mecanismos e equipamentos de segurança;
 
SENHORES AGENTES
 
‘ O HOMEM DEVE PROCURAR NORMAS ÉTICAS NÃO PARA SE DIMINUIR, MAS PARA CRESCER EM TODOS OS ASPECTOS NO CONJUNTO DE SEU TODO EXISTENCIAL, EMBORA ÁS VEZES DEVA SACRIFICAR ALGUM ELEMENTO DE SEU SER”. Marculino Camargo
 
Domingos Fábio, bacharel em segurança institucional.
Top